• O Norte de Goiás

Comunicação em alta no norte do Estado; os profissionais de marketing darão o tom em 2021

A influência digital segue ditando as regras da comunicação. Em 2020, a internet trouxe convergência num dos momentos mais difíceis da história do mundo, a pandemia. E, no Brasil, as eleições municipais tiveram de se reinventar para garantir espaço, público e alcance. Foi aí que diversos profissionais da comunicação, aqui, do norte do Estado, puderam se destacar. Eles apresentaram uma nova forma de se comunicar e tiveram bastante êxito.





O Portal NG já fez algumas reportagens destacando as campanhas mais criativas, e agora, vai conhecer alguns profissionais que estão por trás desse novo conceito para as redes sociais e para internet, em Porangatu e Minaçu, duas das principais cidades do norte do Estado. Em 2021, a bola da vez é a internet, eles garantem.


Em Minaçu, o Portal NG buscou no ano passado as campanhas mais criativas, e quem esteve por trás de duas delas, foi o publicitário Benevald Costa. Filho de Minaçu, trabalhou em diversas campanhas publicitárias no Estado. Para ele, “a condição de pandemia, impôs um novo jeito de abordar pessoas, clientes. O delivery substituiu as compras de rua. Na campanha, a internet substituiu as reuniões, os comícios. E na gestão pública, a internet vem democratizar o acesso à informação”, pontuou Costa, que já atuou em agência de publicidade em Anápolis atendendo contas em Goiânia e Brasília.


O diferencial é a abordagem


O mundo conheceu a força de um bom marketing político digital na campanha eleitoral de 2020. E em 2021, essa tendência tende a se repetir, cada dia mais forte. “O eleitor da web é agora um público formador de opinião, que busca informação, e que encontra na internet o espaço democrático para expor ideias, ouvir e debater política, além de mobilizar a sociedade”, disse.


Na última campanha eleitoral, o publicitário se destacou em diversas campanhas, duas delas vitoriosas em Minaçu: a de Eugênio Romão e de Tiago Nunes, ambos vereadores. Diferente dos demais materiais, as campanhas flutuavam em abordagem mais próximas do eleitor, com um discurso mais leve, convidativo e com boa qualidade de imagem. Foi responsável pelos slogans “O menino é bom” de Tiago Nunes, e “Pra Cima Minaçu” de Eugênio Romão.


Porangatu, a abordagem que deu certo



A abordagem das campanhas de Porangatu deu destaque - não por menos - para a prefeita eleita Vanusa Valadares (Podemos). Foi uma das campanhas mais criativas do norte do Estado, ao apelar para pessoalidade - quando se coloca o principal ator no centro das produções e da abordagem. Quem nos ajuda a entender como isso aconteceu de forma tão natural, é a responsável pelas redes, Dayane Cecci.


Portal NG: Dayane, com foi encarar um desafio tão grande, como esse, que foi o de transformar um trabalho de rua, numa coisa totalmente virtual?


DC: Quem já vem de uma rotina virtual, teve facilidade nessa adaptação. No meu caso, venho utilizando esse meio na divulgação de meus trabalhos junto a minha Cia. de teatro e escola de artes há muito tempo, além disso, assessorei a Vanuza quando secretária de assistência social, primeira-dama de Porangatu, após como presidente da CEASA-GO, onde essa ferramenta foi extremamente utilizada. Trazer a linguagem da rua para a dinâmica virtual, foi um exercício muito prazeroso, ainda maior quando se trata de uma pessoa comunicativa como ela. Portal NG: Como você percebeu a aceitação do público? DC: Percebemos a aceitação do público nas manifestações das postagens. Muitos compartilhamentos, comentários de incentivo ou simplesmente uma simples mensagens no direct ou bate papo. Percebíamos que a nossa mensagem estava chegando de forma positiva ao cidadão. Portal


NG: Você acredita que o resultado da campanha tem a ver diretamente com a abordagem das redes?


DC: Sem dúvida as redes sociais foram determinantes para definir a eleição. As pessoas adquiriram o hábito de se recorrer a esse meio para ajudar nas tomadas de decisões. Mais que um aperto de mãos, uma breve pesquisa na internet ou mesmo uma comunicação leve e sincera nas redes sociais, contribuíram para que o eleitor definisse seu voto. Portal NG: A gente percebe que vocês utilizaram bastante vídeos. Houve mais engajamento nesse tipo de conteúdo? DC: As pessoas se interessam mais em assistir vídeo com bom conteúdo a simplesmente abrir uma foto com um texto extenso explicando. O vídeo, quando bem executado, ajuda na conclusão de uma tendência já manifestada no subconsciente do eleitor. Esse foi o motivo de sempre apostarmos em uma comunicação mais leve e com compromissos realizáveis. Por outro lado, a Vanuza é carismática, simpática, fala bem, e isso chama muita atenção ao internauta que está do outro lado da tela.


Portal NG: Você acha que a comunicação digital veio para ficar?


DC: A comunicação digital veio para não sair mais. É uma tendência mundial que ocupou os espaços de muitos meios de comunicação tradicionais. Daí a importância de seu domínio e atualização permanentes. Na minha humilde análise aqui no norte, a televisão perdeu espaço pras redes sociais, já os meios de rádios se mantiram firmes na zona rural.


Portal NG: Há, sem dúvida, uma diferença entre a comunicação eleitoral e a de gestão pública. Vocês pretendem mudar a estratégia de comunicação, nesta fase de gestão?


DC: Sem dúvida essa comunicação será adaptada. Na comunicação eleitoral fomos criteriosos no convencimento do eleitor de maneira integra e honesta. Por exemplo: quando a Vanuza prometia revitalizar a nossa lagoa, procurávamos mostrar quais seriam os caminhos a percorrer para conquista dos recursos para esse fim. Se a emenda seria de um Deputado, pedimos a participação desse Deputado para reforçar essa intenção. Portanto, foi um processo de convencimento com responsabilidade. Agora, a comunicação de gestão, será divulgar todo esse processo, desde a chegada do recurso, até a entrega da obra. O importante é que todos passem a observar a diferença da comunicação na gestão da Vanuza, que é a transparência e a divulgação de suas ações sem a utilização de técnicas de manipulação. Vanuza é muito atuante e extremamente séria, e isso agrada muito o cidadão que está desacreditado de gestores públicos.


Vanusa Valadares




Como a prefeita encarou esse novo momento da comunicação, principalmente nas eleições, onde não havia o tradicional “corpo a corpo”?


"Uma pergunta interessante, de fato foi uma eleição atípica onde pudemos colocar em prática, além do nosso conhecimento sobre as demandas da cidade e consequentemente propostas para saná-las, mostrar também habilidade no uso das ferramentas disponíveis com a limitação imposta pela pandemia. Muitas visitas foram agendadas e muitas outras não, nesses casos tivemos cuidados redobrados. Abraços e apertos de mãos foram substituídos pelo toque dos punhos e um borrifar de álcool. Voltando à tecnologia, utilizamos muitas lives com personalidades de nossa cidade, que habitam aqui ou tiveram que sair em busca de oportunidades. Essa ação, além de valorizar essas pessoas, ajudou a complementar nosso plano de governo. Foi de fato uma experiência diferente, que evidenciou a criatividade e contribuiu para que nossa voz alcançasse o objetivo almejado: nossos eleitores"

Todos os direitos reservados - 2015-2019 Jornal O Norte de Goiás