• O Norte de Goiás

Leréia: “Vamos resgatar a autoestima do povo minaçuense”

Atualizado: Ago 21



Segundo entrevistado da série que o Portal NG realiza com pré-candidatos, o ex-deputado Carlos Alberto Leréia fala dos projetos para o futuro, caso prefeito, nas áreas da saúde e economia. Leréia não abre mão de devolver o controle da saúde ao município, e, na outra ponta, irá priorizar a contratação de profissionais minaçuenses. “Temos muita gente boa aqui”. Depois de fortalecer o servidor público, Leréia afirma que irá utilizar do trânsito que tem nas esferas dos governos, para garantir investimentos na cidade, em outras áreas. “Vamos resgatar a autoestima do povo minaçuense”,

Confira o bate-papo com Carlos Alberto Leréia:


Portal NG: Leréia, você já sofreu uma derrota a prefeito em 2016. Qual o motivo que o leva, agora, a buscar novamente uma eleição em Minaçu?

Eu sou pré-candidato, ciente do que posso fazer, ciente da minha experiência, dos contatos que fiz ao longo da minha vida pública. Aquilo que aprendi, eu quero colocar em prática. Eu vim para cá, para Minaçu, eu tinha 10 anos de idade. É a cidade que abriga a minha família, os meus amigos, onde sepultei meus pais, onde construí meu patrimônio. Uma cidade que me ajudou e muito. Que me inseriu no cenário político. E agora é minha vez de retribuir. O momento é de resgate da confiança e do orgulho da população em Minaçu. É por isso que eu topei.

Num tem coisa que me deixa mais triste do que saber que a minha cidade que já foi uma das mais fortes e ricas de Goiás, hoje não é. Eu quero recuperar a autoestima da nossa gente. Fazer com que as pessoas resgatem o orgulho de viver aqui.


Portal NG: A gente sabe que Minaçu vive um momento de retração econômica, principalmente, agora na pandemia. É possível falar em reversão desse quadro no futuro?

Não há dúvidas. Eu tenho convicção da capacidade de Minaçu. Temos a Serra Verde que está chegando. A Sama, que, se acontecer do STF, definitivamente fechá-la, teremos uma indenização. A piscicultura através do Lago de Cana brava, que tem uma formação privilegiada para a produção. Então são caminhos que Minaçu, pode sim, percorrer para alavancar a economia.


Portal NG: Como seria essa indenização da Sama?

É uma compensação. O município tem que pleitear.


Portal NG: Como você pretende fortalecer o turismo em Minaçu?

Olha, o turismo em Minaçu é o que vai nos propiciar a geração de emprego. Emprego limpo. Sem poluição. Porque nós temos aqui a Serra da Mesa, temos o lago de Cana Brava que é a área urbana da cidade e tem o lago de São Salvador que, parte dele, banha o nosso município. E temos cachoeiras, enfim, temos varias belezas naturais.

Aqui nos temos também a aldeia avá-canoeiro, que está no nosso município. Temos duas hidrelétricas, uma casa de máquina que gera energia dentro da rocha,

Temos, portanto, a Sama que deu origem a cidade, temos a Serra Verde, que surge agora na produção mundial em terras raras, temos águas quentes em nosso município. Portanto nós temos muito que mostrar.

E através da ligação asfáltica daqui a Brasília, que falta apenas 8 quilômetros de asfalto, que nós vamos saber aproveitar o turismo para beneficiar a cidade. Aí temos que fazer convênio com o SEBRAE para capacitar as pessoas no atendimento, valorizar o esporte náutico, fazer da pesca esportiva um investimento. Dar alternativas, de turismo religioso, de negócios.

Por isso que eu já tenho contatado em Brasília autoridades dessa área, porque ganhando as eleições, hoje eu sou pré-candidato, eu quero trabalhar muito para que a gente possa destacar a nossa cidade como uma cidade turística e que vai buscar esse turismo nos grandes centros, Brasília e Goiânia.

Portal NG: Você ainda mantem as relações que construiu na política em Brasília?

Sim, com muitos. Eu tenho uma boa relação deputados, senadores, uma excelente relação com o Eduardo Gomes [senador e líder do governo no Congresso], assim como tenho uma relação pessoal com ministros que hoje estão no governo. Se eu ganhar, eu já sei onde ir, e onde estão as pessoas e os órgãos que vão me ajudar.


Portal NG: Com você está vendo o enfrentamento da pandemia nesse momento?

Eu costumo separar as questões. Os governantes de um modo geral não têm culpa da pandemia ter chegado nas cidades. Eu reconheço isso! Mas, eu se fosse prefeito estaria utilizando bem o recurso.



Portal NG: De que modo?

Gastando bem o dinheiro que vem de fora, por exemplo, com testes. Testaria o máximo possível da população, principalmente aquelas pessoas que estão na linha de frente que lidam com o ser humano.

Portal NG: Médicos e enfermeiros?

Não só, funcionários públicos em geral. E, antes, fazer um acordo com os comerciantes, olha, “se você quer manter o seu comércio aberto, então você vai ter que testar o seu pessoal”. As empresas estão fazendo isso. Vários setores da iniciativa privada estão fazendo isso. Sempre respeitando a ciência. Se chegar uma pessoa com qualquer suspeita, vai à rede de saúde, e faz o teste. O maior número possível de testes. É por aí.

Na minha opinião, a testagem em massa seria o gasto mais proveitoso nesse momento estratégico; você sabe que os lugares onde conseguiram testar a população a pandemia está controlada.


Portal NG: Como você analisa o atual contexto político de Minaçu? Temos um prefeito que era vice, e que hoje estão em grupos separados. Como você analisa isso?

Minaçu tem um histórico de vice querer ser prefeito. Os últimos episódios em Minaçu ocorreram nos dois últimos mandatos. Graças a Deus, o meu pré-candidato a vice, o Ian, do PMDB, é uma pessoa da minha mais extrema confiança. Ele estará junto comigo na administração pra gente resolver os problemas de Minaçu. Quando há briga entre prefeito e vice, aumentam os problemas. Mas no meu caso, o Ian será um dos meus importantes auxiliares a frente da prefeitura.


Portal NG: Leréia, você permanece no PSDB, que é oposição ao DEM em Goiás, do governador Ronaldo Caiado, porém é aliado ao presidente Bolsonaro. Será difícil falar em parceria nesse contexto?

De maneira nenhuma. Minaçu não é uma currutela. Minaçu é uma cidade média, importante. Minaçu precisa do governo, mas o governo também precisa de Minaçu. Hoje, por exemplo, o controle da Saneago é do município, mas a empresa é do Estado. A prefeitura mantem convênio com o restaurante popular, tem o vapt-vupt. Vamos manter esses convênios e outros. É uma via de mão dupla, a prefeitura precisa do Estado, mas o estado também precisa da Prefeitura.

O Caiado foi parlamentar de oposição, hoje é governador, ele mais do que ninguém sabe que o Brasil funciona institucionalmente. Se o apoio do governo resolvesse alguma coisa, Minaçu estaria uma maravilha, porque, tanto o Niquelândia, quanto o Zilmarzinho, apoiaram o Caiado. Ambos estiveram no palanque dele.

Então palanque não resolve problema. O problema aqui é de gestão local. A gente não pode colocar a culpa no Estado, nas deficiências que em tese são da administração municipal.


Portal NG: Como você distingue essa relação de responsabilidade?

Se eu ganhar as eleições, amanhã eu não vou botar a culpa naquilo que é de responsabilidade minha, no outros. Eu tenho que saber resolver os problemas que são inerentes à administração municipal. Seria muito fácil ganhar eleição e sentar na cadeira e começar a colocar a culpa no governador. Eu não. Eu vou é trabalhar. Isso não é papel de prefeito. Papel de prefeito é resolver os problemas. Aquilo que é dever do Estado eu saberei cobrar, aquilo que é direito nosso, eu saberei pedir. Nós teremos, se eu eleito, uma relação respeitosa e republicana que deveria nortear todas as relações entre os poderes no Brasil.


Portal NG: O cenário político de Minaçu tem mais de 5 pré-candidatos. Como você avalia a disputa esse ano?

Participarei dos debates, quantos forem necessários, após o registro das candidaturas. Todos que forem aprovados em suas convenções terão os mesmos direitos que eu. Eu quero debater com eles propostas e ideias. Não vou ficar discutindo vida pessoal. O que me interessa é ouvir deles, ideias, e como resolver. Meu foco vai ser, na campanha, dizer dos problemas e apontar onde solucionar. Aquilo que eu não souber resolver, eu vou avisar antes. Olha, não dou conta. A minha relação com a politica é extremamente transparente.


Portal NG: Como você avalia a atual gestão em relação as promessas do debate, na campanha anterior?

Eu perdi a campanha em 2016, tanto para o prefeito quanto o para o vice, e a gente vê que nenhum dos dois cumpriram aquilo que pregaram, o que prometeram no Plano de governo. Se tivessem cumprido, eu talvez nem estaria aqui me candidatando. Estou me candidatando para cumprir, tenho energia, determinação e tenho vontade.

Portal NG: Leréia você sempre foi conhecido em falar o que pensa, de ser intenso, ríspido até. Você pensa em mudar esse jeito, para fazer uma campanha mais amena? Você pretende mudar de alguma forma o seu comportamento?

O eleitor me conhece. Eu disputei 8 eleições, ganhei 5 e perdi 3. Estou no lucro. A pessoa que muda o seu jeito de ser não tem personalidade. É plástica. No dia que você ver um candidato deixar de ser ele, pode ver que lá frente, ele vai ser o que era.

Vou continuar do meio jeito. Tenho 59 anos de idade, e não mudarei. Agora, respeitar as pessoas, sempre respeitarei. Em campanha, ou não. Falar a verdade, sempre vou falar. Meu estilo é esse. É assim que me apresento como pré-candidato a prefeito de Minaçu. Quem muda o jeito de ser, é sempre pra tapear alguém. A maquiagem é uma coisa horrível, para todas as relações, para relações políticas, nas relações de amizade, familiar. Então não contem comigo pra isso!

Portal NG: Em relação a OS, a gente sabe que ela trouxe novos especialistas, trouxe novos equipamentos. Mesmo diante dessa melhora, você pretende tirar a OS de Minaçu?

A minha decisão em relação a OS já está tomada. Eu não arredo o pé. Se eu ganhar as eleições, estarei contatando um novo cardiologista para começar logo em janeiro. O pediatra é o Dr. Bruno. Esse eu vou resgatar. Ele está lá no Paraná, mas eu quero trazer ele de volta. Vou fazer uma reunião com todos os servidores da saúde, aqueles que sempre trabalharam no Hospital, vão retornar, dia primeiro, eles voltam a trabalhar. Se eleito, vou desqualificar a OS já no dia primeiro. A OS não vai poder cobrar o mês de janeiro aqui.

Não se justifica essa OS. Trouxeram gente de fora e hoje estão tratando a saúde de Minaçu como se fosse iniciativa privada. A prefeitura gastando R$1.2milhao e a saúde piorou. Fizeram uma maquiagem. A única coisa que melhorou foi o equipamento de tomografia. Mas ele já era da prefeitura, porque a prefeitura não pode assumir?

Minaçu, em todos esses anos, reúne gente que se formou lá fora. Gente daqui. Médicos, enfermeiros. A gente tem um quadro de funcionários já qualificado, não precisa trazer ninguém de fora. Eu não fico com essa OS. Se eles acharem ruim, que recorram a Justiça. Eu num vou pagar um centavo de janeiro para eles. Pode anotar aí. Nenhum centavo.






O próximo entrevistado da série, é o atual prefeito de Minaçu Zilmar Filho, do PSC.

ELEIÇÕES 2020 - Os bastidores da politica no maior portal de notícias da região




Confira as últimas sabatinas:



Cabo Queiroz: “Minaçu não tolera mais o atraso”



Todos os direitos reservados - 2015-2019 Jornal O Norte de Goiás