• O Norte de Goiás

Nova cerveja de Goiás, Esmera beneficiará produtores de mandioca de Minaçu



A cerveja Esmera de Goiás, lançamento da fábrica Ambev que será exclusivo ao Estado, chega ao território goiano com uma missão: valorizar a agricultura familiar e a cultura regional.

Segundo o supervisor Fábio Ferreira, a Ambev adquiriu cerca de 270 toneladas de mandioca com produtores de 10 municípios goianos, entre eles Minaçu.


Com fórmula inovadora, que troca o trigo pela mandioca, a bebida já está em sistema de distribuição na região.


Segundo Ferreira, alem de Minaçu, as cidades de Cavalcante, Posse, Flores de Goiás, Buritinópolis, Colinas do Sul, Niquelândia, Mundo Novo, Itaberaí e Uirapuru estão enviando matéria-prima para a fábrica da Ambev.


. “Em todos os municípios, as negociações são feitas diretamente com o agricultor familiar”, acrescentou o supervisor. “Nosso foco, até 2025, é impactar mais de 2,5 mil famílias com o projeto.”

O nome do produto, explicaram os representantes da Ambev, é derivado de duas palavras: “Diminuímos a palavra ‘esmeralda’, uma riqueza e preciosidade do cerrado goiano. Mas Esmera também quer dizer ‘esmero’, porque o povo de Goiás faz suas ações com muito capricho e dedicação”, disse o gerente de marcas regionais, Leandro Toth. Além disso, Toth destacou que, no centro do rótulo, está a cachoeira de Santa Bárbara, na região de Cavalcante.

Novidade refrescante

A mestre cervejeira Daniela Kikuchi comentou sobre as características que a mandioca traz para a bebida, como “refrescância” e “leveza” no paladar. “Quando bebemos a cerveja [Esmera], sentimos o sabor mais refrescante”, afirmou. Além disso, Kikuchi avaliou as cervejas de trigo mais “encorpadas”. “Mas a mandioca traz a suavidade que queremos na Esmera”, prosseguiu.

Além do ingrediente escolhido, a Ambev também cogitou utilizar pequi ou jabuticaba na fórmula, mas a mandioca acabou sendo a opção final. A decisão, segundo representantes da fabricante, foi tomada após uma série de pesquisas com o público e a partir de uma análise de qual produto poderia representar mais o território goiano.

A fécula da mandioca é a substância utilizada na composição da cerveja. Semelhante ao amido, que é extraído de plantas acima da terra, o termo "fécula" refere-se àqueles amiláceos retirados de vegetais enterrados.

Compra de matéria-prima

Segundo o supervisor Fábio Ferreira, a negociação das matérias-primas é feita diretamente com os produtores. Primeiramente, explicou ao jornal A Redação, a Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater) e a Secretaria de Agricultura de Goiás realizam o mapeamento das famílias que produzem mandioca no Estado.

Após identificadas, a Ambev entra em contato com produtores, sem intermediação alguma, para negociar o valor da aquisição e finalizar a compra. “Hoje, o pré-cadastro é feito no site da Emater. As inscrições chegam para mim, e eu faço todas as análises para saber se o produtor se encaixa no perfil”, concluiu Ferreira.

Todos os direitos reservados - 2015-2019 Jornal O Norte de Goiás