• serra verde

Serra Verde inicia processo de negociação com ex-funcionários da Transmorais



Em nota enviada ao Portal NG, a Mineradora Serra Verde afirma que já iniciou o processo de negociação com a Transmorais, e com ex-funcionários da empresa. Mais de 80 pessoas aguardam receber além do salário, parte do 13° e acordos de rescisão de contratos.


A Transmorais foi contratada pela Serra Verde para realizar a terraplanagem da estrada do Pela Ema – Bom Jardim, mas não entregou a obra, mesmo com os pagamentos em dia. Diante do encerramento do contrato, a Transmorais demitiu todos os funcionários e se recusou a arcar com os pagamentos.


“A paralisação da obra por parte desta empresa contratada – e a consequente não entrega – resultou na rescisão contratual entre as partes”, explica a nota.


“A Mineração Serra Verde, apesar de manter todos os controles e exigências no cumprimento das melhores práticas trabalhistas, não tem, no episódio em questão, responsabilidade direta ou indireta sobre a forma de demissão ou contratação de funcionários da referida empresa. Cabe a cada empresa zelar pelas responsabilidades trabalhistas em relação aos seus empregados, especialmente por não se tratar de uma terceirização de mão de obra”, garantiu.

E, para minimizar os impactos e dificuldades enfrentadas pelos trabalhadores demitidos, “mantendo o princípio da responsabilidade social e a parceria com a comunidade, a Mineração Serra Verde vai atuar na solução deste desafio que se estabeleceu entre a prestadora de serviços e seus trabalhadores, de forma a evitar que a situação de vulnerabilidade econômica pelo não pagamento atinja ainda mais famílias”, disse.

“Como uma empresa séria e com profundo respeito à comunidade, a Mineração Serra Verde reforça que se orienta sempre conforme a legislação vigente para garantir segurança jurídica de todos. Diante disso, agradece a compreensão e confiança, na certeza de, em breve, concluir a solução para o desafio imposto”, disse a nota.

Transmorais quer protelar, o quanto possível


Ex-funcionários da empresa entraram em contato com a redação do Portal NG para denunciar que, mesmo diante da tentativa da Serra Verde em negociar, a Transmorais está postergando o envio dos dados dos funcionários a Serra Verde. “Está na mesa da Transmorais, do Marcelo (Marcelo Gomes Balduino, dono da Transmorais) e ele não resolve o acordo. A Serra Verde fez tudo certo”, disse um dos ex-funcionários. Um grupo de pessoas pretende ir à sede da Transmorais em Minaçu na próxima segunda-feira, 30, para protestar contra a falta de ação por parte da empresa. Segundo eles, a Transmorais está querendo ganhar tempo, reduzir os valores dos acordos firmados, para ainda lucrar com as negociações.

NOTA DA SERRA VERDE



Comunicado oficial

27.3.2020

A Mineração Serra Verde foi surpreendida recentemente por um episódio que gerou a demissão de funcionários de uma de suas prestadoras de serviço, no início deste ano. Tendo a transparência como parte dos valores que guiam a atuação da companhia em todas as frentes, bem como o respeito na relação entre a Serra Verde e sua contratada, a empresa aguardou os avanços dos entendimentos entre as partes para manifestar-se a respeito. Neste momento, vem a público esclarecer à comunidade o ocorrido acerca desta questão.

Esta prestadora de serviços foi contratada em 2019 pela Mineração Serra Verde para realizar melhorias na Estrada Municipal Pela Ema – Bom Jardim, mantendo em dia os pagamentos devidos. Porém, a paralisação da obra por parte desta empresa contratada – e a consequente não entrega – resultou na rescisão contratual entre as partes.

A Mineração Serra Verde, apesar de manter todos os controles e exigências no cumprimento das melhores práticas trabalhistas, não tem, no episódio em questão, responsabilidade direta ou indireta sobre a forma de demissão ou contratação de funcionários da referida empresa. Cabe a cada empresa zelar pelas responsabilidades trabalhistas em relação aos seus empregados, especialmente por não se tratar de uma terceirização de mão de obra.

No entanto, com o objetivo de minimizar os impactos e dificuldades enfrentadas pelos trabalhadores demitidos, mantendo o princípio da responsabilidade social e a parceria com a comunidade, a Mineração Serra Verde vai atuar na solução deste desafio que se estabeleceu entre a prestadora de serviços e seus trabalhadores, de forma a evitar que a situação de vulnerabilidade econômica pelo não pagamento atinja ainda mais famílias.

Nesse sentido, a equipe da Serra Verde está dialogando com a empresa contratada e os funcionários demitidos, com o objetivo de estabelecer uma solução rápida para resolver os transtornos causados a eles, na medida do possível e respeitando os aspectos legais.

Como uma empresa séria e com profundo respeito à comunidade, a Mineração Serra Verde reforça que se orienta sempre conforme a legislação vigente para garantir segurança jurídica de todos. Diante disso, agradece a compreensão e confiança, na certeza de, em breve, concluir a solução para o desafio imposto.


Entenda o caso

Ex-funcionários da TransMorais, empresa terceirizada que presta serviço de terraplanagem para a Serra Verde, reclamam do atraso nos salários após demissão em massa. A empresa também não realizou o pagamento dos acordos de rescisão dos contratos.


Em dezembro alguns funcionários já haviam sido dispensados. No último dia 20 de janeiro o segundo grupo deixou suas funções, já com o salário de dezembro atrasado, também não houve o pagamento total do 13° salário e por não haver acordo de rescisão, não tiveram direito a acessar as parcelas do Seguro Desemprego. Ao todo, de acordo com fontes ouvidas pelo Portal, 80 ex-funcionários estão nessa situação.


“Estamos passando necessidade. Faltando o básico dentro de casa. Muitos estão sobrevivendo com a ajuda de parentes. Tem pessoas que não tem o que comer, com mais de três alugueis atrasados”, lamenta um dos ex-funcionários.

Eles se organizam em um grupo de Whatsapp, para dividir qualquer novidade sobre o caso. Eles já constituíram um advogado que, nesse momento, trabalha para garantir uma negociação amigável entre as empresas e os ex-funcionários.

Todos os direitos reservados - 2015-2019 Jornal O Norte de Goiás